5 músicas pra ouvir em looping

Por Helô Gomes

Tem duas situações na minha vida que eu fico realmente preocupada quanto ao meu auto-conhecimento:

  • uma é quando eu não sei quem eu quero ser, logo, não tenho a menor idéia do que vestir – geralmente, depois de decidir qual o tom de Helô que quero para aquele dia em específico, costumo sabe de cara o look que vou usar: assim que selecionada a vibe, o resto vem tranquilo… Não costumo ficar experimentando muita roupa não.
  • a outra é quando eu não tenho a menor idéia do que quero escutar de música. Tipo assim:  Gaiola das Popozudas ou Gymnopedie 1, do Satie, me parecem igualmente estimulantes para uma corrida na esteira ou uma tarde de trabalho. E, acreditem: elas funcionam nos dois momentos.

Bom, aí que entra esse post! Decidi fazer uma lista das top 5 músicas que geram a sensação de maravilhosidade em qualquer lugar, a qualquer hora, com qualquer pessoa. Quase como um pretinho básico sonoro, aquela camiseta branca perfeita com o jeans ideal só que em versão fonogáfica, sabe como?

Coloca o fone de ouvido, abre a planilha do Excel pra fingir que tá analisando uns números e vem comigo:

1 – De Todos os Loucos do Mundo – Clarice Falcão

Essa música é fabulosa por um motivo genial: ela fala de um negócio chamado hoje. E tem coisa mais linda nessa vida do que essa belezinha que a gente chama de agora?

Porque assim: tem letra que só fala de passado e dá uma tristeza meio estranha por motivos óbvios de presenças ausentes e ferida de saudade que dói e a gente sente sim, viu Camões! Tem aquelas músicas que só falam de futuro e, dependendo do clima, você se empolga, fica afim de começar dieta,  faz mil planos imaginários pra próxima sexta-feira, se concentra em tomar aquele um litro de água pra ver se a pele dá um glow extra… Mas não há nada mais delicioso do que uma letra de música que te leve para o exato momento do agora. E os loucos da Clarice vivem todos neste belíssimo dia que você aí e eu daqui estamos vivendo, sim, agorinha mesmo. Os loucos da Clarice confessam mais do que sentimento: confessam realidade de sensações: fala de troca, de compreensão, de amor.. fala do oposto do que é estar sozinha. E você pode fazer dueto com uma amiga, o namorado, vários amigos, vários namorados e, se você der sorte, pode ter uma pessoa todinha sua pra cantar a letra tipo Faroeste Caboclo e aí, meu bem, só tenho uma coisa pra te dizer: somebody got you, babe. <3

2 – Lua de Cristal – Xuxa 

Clássica dos karaokês, Lua de Cristal é tipo o hino da marcha dos ursinhos carinhosos. Fala sério: não dá pra não ser feliz ao som de “todos somos um e juntos não existe mal nenhum”, minha gente. E, não sei vocês, mas sempre faço uma lista mental das coisas que quero que o cara lá de cima me dê capacidade pra lutar enquanto seguro o fôlego pra aguentar mais um refrão de que eu já sei brilhar. Tem mais: é tanta repetição que fica quase impossível cantar sozinha essa música, ou seja, tem sempre uma boa lembrança da zueira envolvendo as migas quando a gente aperta o play nesse hit topíssimo da Xuxa. É sorriso garantido e energia renovada. Vai por mim…

3 – Let’s do it – Louis Armstrong 

Pra mim, a música mais sexy, apaixonada e egoísta que já existiu na história do jazz. E, acreditem em mim: apesar de parecer contraditório, não tem nada de mal uma letra ser ao mesmo tempo uma declaração para outra pessoa e para a gente mesma. Porque assim: a maioria das músicas românticas depende da reação do destinatário da música pra completar o círculo. Nessa, não acontece isso. É tipo amar verbo intransitivo mesmo: “olha que lindo, amor, as abelhas tão se amando, os mosquitos tão se amando, os peixes tão se amando, por que a gente não se pega também, vai, libera aí” e aí a resposta não vem e o que o Louis faz? Fica amando mais ainda as coisas que tão a sua volta e fica lá amarradão na própria brisa da imaginação. E lindo demais minha gente, os melhores 8 minutos da minha vida. TO-DA vez. Tentei achar no Youtube minha versão favorita que é a do álbum Verve Ultimate Cool (não achei, mas tem no Spotfy, aqui pra quem interessar possa).

4- Caraca, Muleque, Tiaguinho

Que dia, que isso?! Poe um pagodinho só pra relaxar… No trânsito, no escritório, na fila do banco, do supermercado, hoje a gente tá naquele pique de moleque doido e quando a gente tá assim, é como minha gente? No puro brilho, obviamente.

E olha, nada de fazer a vítima: ai não estou na praia, não estou tomando cerveja, estou sem dinheiro, bla bla bla bla. Você tá viva aí belíssima, lendo este texto maravilhosamente com esses olhos lindos que Deus te deu, coloca um rímel mara vida vida mara, escuta essa música no looping umas 15 vezes e eu du-vi-do que você vai pensar em bad… Afinal: o resto a gente corre atrás!

5Leve – Mahmundi 

Parece música de fossa, mas eu juro que não é se você escutar partindo do princípio de que você é maravilhosa. Explico: já ouviu uma música que fale sobre amor e, no lugar de visualizar uma outra pessoa ocupando o espaço do personagem pelo qual você se apaixona, você pensasse em si mesma? Como se você tivesse se conhecido num bar, tivesse batido um papo consigo mesma, tivesse se encantado absolutamente, se pegado loucamente (tipo amor ao primeiro like) e, alá! Foi recíproco! Você também ficou com os quatro pneus arriados por você mesma! Que baita romance, senhores e senhores, peguem a pipoca que essa história vai ser… sublime.

Share this article

About Helô Gomes

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *