fbpx

10 frases de Picasso que vão mudar sua vida

Nascido em Málaga, na Espanha, em 1881, Pablo Picasso tornou-se um dos maiores e mais influentes artistas do século 20 e o criador (juntamente com Georges Braque) de um movimento na arte que a gente chama cubismo –  uma estética parecida com a cara que você vê no espelho quando acorda de ressaca ao dia seguinte que você foi dormir sem tirar a maquiagem, sabe, né?

Pintor, escultor, ceramista, Picasso é considerado um ícone por seu trabalho. E tá certo mesmo, ele é realmente genial.

A mãe de Picasso era a Doña Maria Picasso y Lopez, já o pai era o Don José Ruiz Blasco, um pintor e professor de arte – vê-se que a fruta não cai longe do pé.

Desde muito cedo nosso migo Picasso já demonstrava um grande talento para o desenho e, de acordo com relatos históricos, “pis, pis” foi a primeira palavra dita por ele na infância, em uma tentativa de dizer “lápis”. Já demonstrando que ele queria desenhar. (HAHAH, ai, como a gente ama uma boa história).

Tá: seu pai começou a lhe ensinar a desenhar e pintar quando ele ainda era bem pequeno. Quando completou 13 anos de idade, seu nível de habilidade já tinha ultrapassado o de seu pai. (SIM!) E, logo, o pequeno Picasso se mostrou desmotivado para fazer os deveres da escola, optando sempre por passar as aulas criando desenhos em seu caderno – e a gente querendo ver Malhação.

Juventude de Picasso

Em 1895, quando Picasso tinha 14 anos, ele se mudou com sua família para Barcelona, ​​também na Espanha, onde rapidamente foi aceitou na conceituada Escola de Belas Artes da cidade. Embora a escola normalmente só aceitasse alunos mais velhos, Picasso foi tão bem no teste que abriram uma exceção. #genionémores

 

 

 

 

 

No entanto, o artista se irritou com a quantidade de regras e formalidades da escola e começou a matar as aulas para que ele pudesse vagar pelas ruas de Barcelona, ​​desenhando as cenas da cidade que ele observava…

Em 1897, aos 16 anos de idade, ele mudou-se para Madrid para estudar na Academia Real de San Fernando. No entanto, ele voltou a se frustrar com os métodos muito tradicionais de ensino e, mais uma vez, Picasso começou a matar aula para passear na cidade e pintar o que observava: ciganos, mendigos e prostitutas, entre outras coisas.

Em 1899, Picasso se mudou de volta para Barcelona e encontrou diversos artistas e intelectuais que reuniam em um café chamado “El Quatre Gats” (Os Quatro Gatos).

Inspirado pelos anarquistas e radicais que encontrou lá, Picasso deixou, de uma vez por todas, os métodos clássicos em que havia sido treinado, e começou o que se tornaria um processo ao longo de sua vida de experimentação e inovação:

Período Azul de Picasso

 

 

Na virada do século 20, Pablo Picasso mudou-se para Paris para abrir seu próprio estúdio. Os críticos de arte e historiadores normalmente dividem a carreira adulta de Picasso em períodos distintos, o primeiro, que foi de 1901 a 1904 e é chamado de “período azul”, já que a cor que dominou quase todas as pinturas de Picasso ao longo destes anos.

Solitário e profundamente deprimido com a morte de seu amigo íntimo, Carlos Casagemas, pintou cenas de pobreza, isolamento e angústia, quase exclusivamente em tons de azul e verde. As pinturas mais famosas de Picasso do período azul incluem “Velho Guitarrista Cego”, “A Vida” e “Nu Azul” e foram concluídas em 1903:

Período Rosa de Picasso

Em 1905, Picasso tinha superado a depressão que o havia debilitado. Além de ter se apaixonado loucamente por uma bela modelo, ele havia conseguido um patrocínio generoso de Ambroise Vollard, um grande negociante de arte.

Aí, vocês sabem como é né, estas coisas boas que estavam acontecendo na vida de Picasso acabaram se refletindo em suas obras, com a introdução de cores mais quentes, incluindo tons de bege, rosa e vermelhos. Assim, este período ficou conhecido como “Rosa”, e durou de 1904 a 1906. Suas pinturas mais famosas destes anos incluem Dois Nus (1906), A Família de Saltimbancos (1905) e Gertrude Stein, (1905-1906).

Início do Cubismo

 

Em 1907, o pintor criou uma obra diferente de todas as outras já existentes, um trabalho que iria influenciar profundamente a arte do século 20: As Senhoritas de Avignon, um retrato arrepiante de cinco prostitutas nuas, captadas e distorcidas com características geométricas e manchas em azul, verde e cinza. Hoje, As Senhoritas de Avignon é considerado o precursor e a inspiração do Cubismo, que foi criado por Picasso e Georges Braque, que era um grande amigo dele.

 

 

Uma das características mais fortes do cubismo é que os objetos pintados são “quebrados” e reagrupados em uma forma abstrata, dando destaque para as formas geométricas, a fim de criar efeitos de colagem, desafiando a física. Por ser ao mesmo tempo destrutivo e criativo, o cubismo chocou e fascinou o mundo da arte. <3

 

As primeiras pinturas cubistas de Picasso, conhecidas como parte do período do “Cubismo Analítico” são: Fruteira e Pão à Mesa (1909), Menina com Bandolim (1910) e Três Mulheres (1907):

 

 

Seus trabalhos cubistas posteriores são distinguidos como parte do período “Cubismo Sintético” por diferenciar ainda mais do estilo artístico da época, criando vastas colagens de um grande número de pequenos fragmentos. Estas pinturas incluem Still Life with Chair Caning (1912), L’Homme Aux Cartes (1913-1914) e Três Músicos (1921), a seguir:

 

Período Clássico de Picasso

A Primeira Guerra Mundial marcou o início na próxima grande mudança na arte de Picasso. Ele passou a se preocupar mais com a representação da realidade. Suas obras entre 1918 e 1927 são categorizados como parte de seu “Período Clássico”, um breve retorno ao realismo em uma carreira dominada pela experimentação.

Seus trabalhos mais interessantes e importantes deste período incluem:

Três Mulheres na Primavera (1921)

Duas Mulheres Correndo na Praia / A Corrida (1922)

La Flûte de Pan (1923).

 

Período Surrealista de Picasso

 

De 1927 em diante, Picasso ficou super emocionado com um novo movimento filosófico e cultural conhecido como o surrealismo –  manifestação artística que surgiu por causa do cubismo – e, claro, também se expressou com os filtros dessa corrente!

A mais conhecida pintura surrealista de Picasso, Guernica, é considerada uma das maiores pinturas de todos os tempos e foi concluída em 1937, durante a Guerra Civil Espanhola. Pintada em cinza, preto e branco, a obra é um testemunho surrealista dos horrores da guerra:

Pra gente um gênio é como se fosse um bom fazedor de suco.

Assim, ó: um gênio é aquele que tem polifonia de discursos: cultural, estético, humanista, antropológico… Ele mistura várias histórias (ou frutas, legumes e verduras), coloca tudo isso num liquidificador e faz algo novo! Algo que faz sentido – porque faz a gente se sentir vivo! Como se ele servisse um suco saboroso que fizesse cafuné na garganta e matasse a sede.

 

Picasso pra gente é isso.

Ele alimenta a alma.

Brigada por terem vindo até aqui e, pra terminar, algumas frases de efeito dele que tem efeito tsunami em nosso coração:

 

“A inspiração existe, mas tem de te encontrar trabalhando”

 

“Se sabemos exatamente o que vamos fazer, para quê fazê-lo?”

 

“Não devemos ter medo de inventar seja o que for. Tudo o que existe em nós existe também na natureza, pois fazemos parte dela”

 

“Na realidade trabalha-se com poucas cores. O que dá a ilusão do seu numero é serem postas no seu justo lugar”

“Antes um quadro era uma soma de adições. Comigo um quadro é uma soma de destruições”

 

“Um quadro só vive para quem o olha”

 

“Concordo com D.Quixote: o meu repouso é a batalha”

 

“Pinto as coisas como as imagino e não como as vejo”

“Leva muito tempo tornarmo-nos jovens”

 

“No mundo nada mais existe a não ser o amor. Qualquer que ele seja”

 

 

Beijocas com carinho

Helô Gomes

 

 

 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

3 respostas

Os comentários estão desabilitados.

cadastre-se aqui para receber cultura, descontos e amor