Mostrando todos os 11 resultados

Filtros
  • to tag or not to tag
    R$69,90
    Assim, ó: nossas blusinhas são camiseta mesmo (não é babylook) e, abaixo, você pode conferir a tabela de medidas de nossas peças – que é extremamente fiel ao produto que enviamos.   Tá na dúvida? então pega a fita métrica e vem com a gente:   cintura/altura/ombro/ circunferência da manga pp           45cm/63cm/15cm/30cm p             47cm/64cm/16cm/32cm m            ...
  • leia isto no lugar de olhar para a minha bunda
    R$69,90
    Assim, ó: nossas blusinhas são camiseta mesmo (não é babylook) e, abaixo, você pode conferir a tabela de medidas de nossas peças – que é extremamente fiel ao produto que enviamos.   Tá na dúvida? então pega a fita métrica e vem com a gente:   cintura/altura/ombro/ circunferência da manga pp           45cm/63cm/15cm/30cm p             47cm/64cm/16cm/32cm m            ...
  • vem kafka comigo
    R$89,90
    Franz Kafka é (a gente até poderia usar "foi" mas, pra gente, pra se estar vivo basta ter idéias eternas, mesmo que o corpitcho não esteja mais na ativa) um escritor alemão que escreveu umas preciosidades sobre a mística e a transformação da nossa existência. Tem um ~ livrinho ~ dele chamado Metamorfose, de 1915, em que ele (chamado de Gregor Samsa na obra) acorda e, vejam só vocês, está transformado num gigante inseto! O mais genial é que ninguém se assusta com a transformação! Nem família, nem crush, nem seguidores do Insta (rsrs). É que fisicamente ele apenas se tornou aquilo que ele já era interiormente: "uma criatura do chefe, sem espinha dorsal nem discernimento…” por isso não chocou ninguém. Gregor era gente que tinha esquecido de ser gente. Vivia de acordo com o que os outros esperavam dele (trabalho, casamento, compromissos sociais) e não do que ele desejava pra si mesmo. Pensando bem, lagarta somos todos: alguns continuam pra sempre insetos, já outros, ainda acreditam na mágica do voo da borboleta.

    >>

    Pra estampar essa blusinha, a gente foi até a Bélgica - mais precisamente até a década de 1920 - onde e quando a gente e encontrou umas litogravuras lindas de História Natural com essas borboletas lindas e plenas! Difícil mesmo foi escolher quais iriam parar no look do dia!    
  • Hilda Hilst
    R$69,90
    Viva Hilda viva Hilda Hilst está na moda. É engraçado porque Hilda é aquela peça vintage que ninguém deu muita bola quando foi lançada à época, e de repente todo mundo encontrou no guarda roupa da avó ao mesmo tempo e decidiu que é coisa de mulher moderna. Que brusinha linda, e tava lá encostada. Finalmente resolveram entender aquela mulher que sempre dizia “fico besta quando me entendem”. Mas, será? Hilda não é uma camiseta escrito FEMINISTA, aquela que hoje em dia vende em tudo que é fast fashion e que noto que muitos estão loucos para vestir na escritora. Ela era, na real, uma mulher privilegiada, de família rica, que me parece ter sempre se preocupado mais com ela mesma do que com qualquer coletivo. E, apesar de ter usado muito vestido haute couture do Dener, eles não eram pra ela. O hype não servia nela, era pequeno. Mas ela pode ser uma camiseta escrito “Aflição de ser eu e não ser outra”, mais uma frase tão famosa sua. Mesmo nunca tendo aderido formalmente a nenhum movimento político, havia ali uma mulher cansada da maneira como as mulheres eram vistas na sociedade, e exausta do que ela mesma era obrigada a se submeter para tentar ser lida, por ser mulher. Em uma entrevista, certa vez, Hilda justificou sua fuga de São Paulo para o interior assim: “Porque ou eu fico fazendo esse puta charme dia e noite, andando pelas ruas, falando nas universidades que eu sou caralhal, ou eu escrevo. Qual é o meu negócio?”. Não é muito diferente do que disse a maravilhosa Roxane “má feminista” Gray em seu livro “Fome”, lançado esse ano: que ela queria poder ser lida apenas, sem ser vista. É preciso ser vista, analisada fisicamente, para decidirem se ela é ou não uma mulher que tem valor? Como se a aparência da autora fosse parte fundamental da qualidade de seu trabalho. Hilda não era uma mulher delicada e submissa, embora muitas vezes defendeu essa mulher em sua obra. Ao mesmo tempo em que construiu personagens fortes e contraventoras, como em “A Obscena Senhorita D”, criou montes de personagens masculinos que, sob sua perspectivas, julgaram mulheres que não se encaixassem nos padrões impostos socialmente. Mas a própria Hilda nunca se encaixou e, na verdade, nem tentou muito. Poeticamente contraditória, ela. “Fico besta quando me entendem”. Hilda não é fácil de entender. Mas ficar tentando entendê-la a cada poema, a cada livro, a cada imagem daquele olhar cheio de uma sabedoria dura é, certamente, uma delícia.

    por juliana ali

  • Frida Kahnarinho
    R$89,90R$99,90
    Até Frida Kahlo vira brasileira na hora de gritar Gol <3  
  • poesia brasileira
    R$89,90
    Operários (1933) é um quadro pintado em 1933 por Tarsila do Amaral que representa o imenso número e a variedade racial das pessoas vindas de todas as partes do Brasil para trabalhar nas fábricas que começavam a surgir no país, principalmente nas metrópoles, como em São Paulo na década de 1930, impulsionando o capitalismo e a imigração. O quadro se encontra no Palácio da Boa Vista e faz parte do Acervo do Governo do Estado de São Paulo. Pra gente, a versão "pintura" dessa camiseta. V I V A  A P O E S I A D A A L M A B R A S I L E I R A !  
  • receita médica
    R$69,90
    Os Poemas
    Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapão. Eles não têm pouso nem porto alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem. E olhas, então, essas tuas mãos vazias, no maravilhado espanto de saberes que o alimento deles já estava em ti… Mario Quintana (Publicado originalmente no livro Esconderijos do Tempo, retirado de Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 469)
  • meu amor, voltaire pra mim!
    R$89,90
    "Devemos julgar um homem mais pelas suas perguntas que pelas respostas." Voltaite em 'O Filósofo Ignorante' François-Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire, foi um prolífico e influente pensador do Iluminismo francês. Famoso pelo estilo sagaz e por seu repúdio a qualquer forma de fanatismo e superstição, ele escreveu dezenas de ensaios, peças de teatro, poemas e ficções.  <3
  • tom & jerry
    R$89,90
    SAMBA DO LOOK BAO // TOM E JERRY
    Minha alma canta Vejo o meu look inteiro... Estou morrendo de vontade meu corpinho, meu ar, amor sem fim Lookinho você foi feito pra mim
    Jerry & um cantor Mentes abertas, se depara!
    Este look é só porque camiseta eu gosto de você me veste diboas sem apertar meu corpo todo vai abraçar
    Lookinho de sol, de cidade, de mar Dentro de mais uns minutos Estaremos em Paixão
    Este look é só porque camiseta eu gosto de você me veste diboas sem apertar meu corpo todo vai abraçar
    Afrouxe o cinto, vamos chegar Olhos brilhando, olha a vibe chegando E vamos nós se embelezar
    A primeira parceria Tom Jobim e Chico Buarque já deu um clássico: “Retrato em Branco e Preto”, composta em 1968. Naquela altura, havia uma certa cerimônia entre os dois. Tanto que, ao contrário do que aconteceria nos futuros encontros, o Tom pouco interferiu na letra. Era como se ele estivesse dando uma força para o jovem compositor de “A Banda”. Ainda assim, nem tudo passou incólume ao crivo do maestro. Alguns versos tiveram que ser negociados…
  • café literário
    R$89,90

    A leitura de todos os bons livros é uma conversação com as mais honestas pessoas dos séculos passados.

    René Descartes