• Coletivo Lírico
  • /
  • moda e literatura: Helô Gomes + look do dia + midi vermelho + Luis Fernando Veríssimo

moda e literatura: Helô Gomes + look do dia + midi vermelho + Luis Fernando Veríssimo

por | 6/05/2023 | 2023, cultura, feminismo, festa, lifestyle, literatura, look do dia, moda, vida interior

Que delícia poder escrever um texto no teclado do computador sobre uma peça (ou duas delas, no caso) de vestuário que não seja por um aplicativo de telefone. Eu te amo Steve Jobs, mas às vezes eu fico com câimbra no dedinho sabe, sou do time old school, uso agenda com caneta e papel.

Pois bem: look (de outro) dia: ele é todinho Mali Concept Alfaiataria, e eu ganhei de presente da própria Marina. A criadora de tudo: modelagens, conceito, narrativa, a marca não é modinha, é Moda com m maiúsculo.

Mais sobre a Mali e a Marina:

Quem está por detrás da marca?

Nós somos uma marca de moda autoral e independente, que produz todas as suas peças a partir do zero, desde os desenhos e modelagens, até a entrega para a cliente final.

Nós aplicamos as técnicas da alfaiataria para criar peças projetadas para mulheres, com o objetivo de ressaltar a força de quem as veste e deseja ocupar seu espaço com confiança.

Propósito

Nosso propósito enquanto marca de moda é construir peças inteligentes, que sejam capazes de transitar por diversos ambientes e compreendam a totalidade múltipla da mulher contemporânea, que está sempre em espaços diferentes e busca otimizar suas escolhas para transitar nos mais variados ambientes.

Nesta foto completamente posada e medida em todos os movimentos (contem ironia) vocês podem ver o nó que eu dei um nó na frente da blusa. Fica super sexy e ao mesmo como como o material (da blusa e da saia (o nome dela no site é  Midi Estrelar Vermelha AMEI SIM OU COM CERTEZA ABSOLUTA OU TODAS AS ANTERIOES clique aqui) de algodão fica delicioso o movimento da roupa dentro do corpo. Detalhes da saia pra que você, querida leitora, possa imaginar mais as intimidades da peça:

Saia em comprimento midi, assimétrica, com fenda, cós assimétrico, drapeado frontal e botões tingidos manualmente no tom do tecido.Possui fechamento em zíper nas costas.Além de ter duas pences na parte de trás na altura da cintura para ajustar melhor as curvas do corpo.Confeccionada em tecido duplo e costura embutida.

Tem do PP ao G aqui.

Eu adorei os botões (não achei no site da página, mas na mão e aos olhos me pareceram de um acrílico, translúcido e cheio de vida. Pareceu botão de brechó no armário da minha mãe, que é impecável. Minha mãe quando nova só usava Elle et Lui, garota carioca swinge sangue bom. Ela morava na Ataúlfo de Paiva, no Leblon, reduto das it girls da época. Esse termo é cringe? Ainda usa?

eu na vida qdo me encontro em sinucas de bico: subo no aceito e vou de amor próprio que tudo se resolve.

Mais da MALI (saia e blusa de algodão – chega a parecer um linho, bem leve):

“Buscamos colocar em prática todos os valores em que acreditamos, em uma constante jornada de aprendizado. Contamos com processos produtivos sustentáveis e humanizados, com valorização da mão-de-obra local e uso de matérias-primas nacionais. Prezamos pela qualidade do acabamento e durabilidade das nossas peças, de forma que cada detalhe da produção é criteriosamente acompanhado, desde a escolha dos aviamentos até a embalagem. Acreditamos que nossos produtos devem gerar o menor impacto negativo possível em nossa sociedade e buscamos aprimorar cada vez mais nossas práticas comerciais”

Será que eu Helozita amei?

Oi, eu! Obs: leiam o conto O que cada um tem por dentro, do livro “Em algum lugar do Paraíso”de Luis Fernando Veríssimo. Página 55. PONTA DO NARIZ é a palavra. <3

Um trechinho pra vocês:

Ela tem, delegado, um nariz arrebitado, mas isso não é nada. Nariz arrebitado a gente resiste. Mas a ponta do nariz mexe quando ela fala. Isso quem resiste? Nunca pude resistir que quando fala a ponta do nariz sobe e desce. Muita gente nem nota, é preciso prestar muita atenção, é preciso ser obsessivo como eu. O Nariz mexe milímetros. Para quem não está vidrado, não há movimento algum. Às vezes, só se nota de determinada posição, quando a mulher está de perfil. Você vê a pontinha do nariz se mexendo, meu Deus. Subindo e descendo. No caso dela também se via de frente. (…)

Mas a culpa delegado, é da inconstância humana. Ninguém é uma coisa só, nós todos somos muitos. (…)

A multiplicidade humana, é isso. A tragédia é essa. Dois nunca são dois, são 17 de cada lado. E quando você pensa que conhece todos aparece o décimo oitavo. (…)

  • famoso por seus textos de humor e pelas sátiras de costumes que publica em jornais de grande circulação, Luis Fernando Veríssimo, em seu novo livro, Em Algum Lugar do Paraíso, reúne 41 crônicas — seu gênero literário por excelência— onde aborda de maneira simples, porém com uma dose de humor, situações inusitadas e questionamentos atemporais que permeiam a experiência humana.

Compre aqui com o link de desconto do Coletivo Lírico e apoie nossa comunidade literária.

É impossível não se divertir com as sátiras o humor ácido e acessível de Veríssimo.

Voltando ao look:

Lembrou-me Nabokov, na abertura de Lolita:

“Lolita, light of my life, fire of my loins. My sin, my soul. Lo-lee-ta: the tip of the tongue taking a trip of three steps down the palate to tap, at three, on the teeth. Lo. Lee. Ta. She was Lo, plain Lo, in the morning, standing four feet ten in one sock. She was Lola in slacks. She was Dolly at school. She was Dolores on the dotted line. But in my arms she was always Lolita.” 

  • Aspas da Heloisa: o personagem é um pedófilo, sim, isso é indiscutível. Mas acho importante trazer à superfície a informação de como era naturalizado (e romantizado, literalmente falando) a relação entre pessoas de faixas etárias tão díspares e, o que mais me incomoda, o fato de ser uma relações com fundo hierárquico e exercício de poder dele sobre ela. Aliás, preciso trazer Shakespeare para o debate. Achei um conto que é o puro creme do Gaslighting. Mas estou fazendo um exercício de separar obra de autor como Picasso ou Woddy Allen (misóginos criminosos que o google salve isso bem claramente) porém, que criaram obras que mexem comigo. Não sei muito bem como lidar com isso ainda, acho que vou descobrir ao longo da vida mesmo.

Compre aqui com o link de desconto do Coletivo Lírico e apoie nossa comunidade literária.

tem roupa que faz a gente se sentir dentro de um livro, né?

Fotos: @Sandra_Fotografia

Tenho 38 anos, nunca fiz botox, abuso do sol (mas passo protetor solar) odeio passar maquiagem, rímel acho que só uso no Natal hahahahaha lavo o rosto com 1 sabonete da La Roche (sim, o sabonete é bom eu reconheço o privilégio), uso bastante hidratante na boca, na pele e no cabelo, mas eu acho que o melhor Skincare é a felicidade. #pqchorasmercadodebeauté Verdades Sinceras. Obs: detalhe pra manga a marca de sol do uniforme do Triathlon kkk é horrível e sei mas eu não tô nem ai. Gente, eu SOU MUITO RUIM, amadora mesmo. A minha felicidade é completar o percurso. Eu olho pra essa marquinha e me acho uma bela de uma gostosa, foda-se se para o olho dos outros não tá bonito, eu não nasci pra agradar o olhar de ninguém. Fora que essa marquinha é um meio iron eu fiquei 7 horas and 3 segundos em movimento nadando pedalando e correndo que viagem maluca parecia um grande after de balada, porque a tour começa às 3h30 da manhã. É uma loucura. Um tesão orgasmático múltiplo contínuo auto gerido. Indico.

Fotos: @Sandra_Fotografia

Entrem lá na Mali, conheçam a Marina:

Sou Fundadora e Diretora Criativa da MALI. Nasci em Minas Gerais mas moro no Rio de Janeiro há mais de 10 anos. Minha carreira acadêmica foi bem distante da Moda, mas afirmo com convicção que tal escolha se deve a ela.

Meu fascínio pelo mundo da alfaiataria e a forma como as advogadas se vestiam me levaram a cursar Direito na UFRJ. Trabalhei por muitos anos na área da advocacia, em ambientes corporativos e predominantemente masculinos, onde por muitas vezes me vi vestida de acordo com regras e códigos que não foram pensados para mulheres.

A MALI é a realização de um sonho. Poder dar vida as minhas criações, ressignificar os códigos da alfaiataria em roupas projetadas para mulheres e fazer com que outras mulheres se sintam contempladas, e cada vez mais fortes e confiantes, me motiva e me preenche de alegria e felicidade. 

Para mim a moda é uma forma de expressão e ela não existe sem paixão.”

Vale muito o clique, e a compra.

  • O Mali ou Máli, oficialmente República do Mali, é um país africano sem saída para o mar na África Ocidental. O Mali é o sétimo maior país da África. Limita-se com sete países, a norte pela Argélia, a leste pelo Níger, a oeste pela Mauritânia e Senegal e ao sul pela Costa do Marfim, Guiné e Burquina Fasso

Fotos: @Sandra_Fotografia




Autor:

Helô Gomes
Helô Gomes é bacharel em jornalismo, premiada nacionalmente com a obra "Cordel de Moda - arte e Cotidiano na feira de Caruaru"; cobriu as principais semanas de moda do circuito Nova York, Londres, Milão, Paris, Rio e São Paulo, publicou e apresentou pesquisas científicas a convite da USP em Dublin, Moscou, Budapeste e Cracóvia, é apaixonada por literatura e arte e no Coletivo Lírico expressa todo seu olhar sobre a moda em forma de objetos de consumo afetivos

Ver perfil e publicações >

Confira nossos produtos!
0 comentários
Enviar um comentário

Leia mais!

Carrinho0
Seu carrinho está vazio =(
Continuar Comprando
0
Abrir bate-papo
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?