Vamos falar de biotipo?! Existe um corpo mais quadrado e outro mais acinturado… O grande público chama um de feminino e o outro de masculino. Firmeza?! Opa!

Então, masculino não é necessariamente um pedaço de pano que cobre um XY e feminino não é necessariamente um pedaço de pano que cobre uma rainha.

O pedaço de pano não tem gênero.

anotem!

luz, câmera, look do dia veja só nossa tabela de medidas:

Oferecemos camisetas UNISSEX, para todos os biotipos – lembrem-se: roupa é linguagem e o importante é você se sentir confortável tanto com o tamanho que veste quando com a mensgame que passa! A idéia é que você se vista de si mesma(o)!
T-SHIRT (nossas camisetas são feitas 100% em algodão, tem um caimento incrível já que o molde é exclusivo Coletivo Lírico! Foi criado com base nas camisetas favoritas da @Helogomes pesquisadas e garimpadas pelas semanas de moda de Londres, Nova York, Milão, Paris, Rio, São Paulo e viagens à Àsia):

MOLETOM (nossos moletons são feito em algdoão e flanelados por dentro, parece que você está vestido por uma nuvem):

MODA OLFATIVA (moda não é só roupa! Já diria o sociólogo Gilberto Freyre em seu livro “Modos de Homem Modas de Mulher”: é também cultura, jeito de andar, jeito de comer e memória olfativa! Alô Marcel Proust!):

Aqui, como a sua caneca vai sorrir pra você:

BONE TRUCKER ABA CURVA

Um pouco de história da moda pra você:

Este modelo de boné lindinho que a gente oferece aqui no Coletivo Lírico inicialmente surgiu nos anos 80 como uma peça promocional de divulgação de marcas de produtos agrícolas e automobilísticos para ser doado aos trabalhadores rurais e caminhoneiros, por isso o nome Trucker!

Já que sua principal função era refrescar o couro cabeludo, uma vez que a telinha dá muito mais ventilação à cabeça que um boné com outro tipo de tecido, o modelo trouxe um diferencial de conforto – o que, na nossa opinião, é a PRINCIPAL característica para alguém ser elegante e chique: sentir BEM ESTAR com as peças da moda que escolhe para vestir – ele logo caiu no gosto popular e, no final dos anos 90 e início dos anos 2000, regressou como um item fashion, sendo amplamente utilizado por artistas de diversas áreas e acabou se tornando o queridinho do público do rock e da cultura pop.