vôo do pensamento

“Todo abismo é navegável a barquinhos de papel” João Guimarães Rosa, em Desenredo, conto integrante de Tutaméia – Terceiras Estórias   Tem gente que têm não consegue nem fazer um daqueles aviõeszinhos de papel simples – daquele tipo que já caia de bico nos primeiros segundos de voo. Bom, digamos que esse não é o […]

poesia solta de domingo

Ria, Rosa, Ria (A Guimarães Rosa) Acaba a Alegria Dizendo-nos: – Ria! Velha companheira, Boa conselheira! Por isso me rio De mim para mim. Rio, rio, rio! E digo-lhes: – Ria, Rosa, noite e dia! No calor, no frio, Ria, ria! Ria, Como lhe aconselha Essa doce velha Cheirando a alecrim, A alegre Alegria! Manuel, […]